NEWSLETTER 04.02.2019: Vídeo e Arte

Este é um arquivo com o texto principal da newsletter. Se quiser acompanhar o conteúdo completo todas as segundas-feiras, clique aqui.


Algumas semanas atrás o canal The Art Assignment publicou um estudo sobre videoarte, suas influências e o que significa criar arte em vídeo. Desde então venho refletindo sobre isso e como esse tipo de conteúdo é importante para as minhas criações.

Semelhantemente ao canal citado, também costumo assistir aos minidocumentários do Tate, porque é possível ver a perspectiva de diversos artistas, suas técnicas e como se dá o desenvolvimento de suas obras. O mais interessante é absorver referências de todos os lados e não apenas na fotografia. Ver um vídeo sobre escultura ou performance também é de grande valor para mim.

Então me peguei pensando sobre os vídeos que eu criei nos últimos dois anos. Quando comecei, tudo era apenas uma brincadeira para testar estilos estéticos, técnicas diferentes e histórias que eu poderia contar da forma mais surreal possível. Nunca os vi como arte ou como algo importante para o mundo. Talvez nem sejam, mas olhando de forma crítica percebi que todos os processos se dão assim: você testa uma técnica, cria uma narrativa e joga ao mundo.

O trabalho vai ganhando valor aos poucos. Você se afasta da obra por meses e quando revê consegue notar todas as influências e todas as mensagens subconscientes que foram inseridas nos vídeos. Também é surpreendido pelas memórias que eles trazem, pois foram feitos em um momento específico da vida que você com certeza lembrará.

Essa é uma das belezas da arte.