NEWSLETTER 10.06.2019: A foto que mudou a minha existência

Este é um arquivo com o texto principal da newsletter. Se quiser acompanhar o conteúdo completo todas as segundas-feiras, clique aqui.


Jonathan Holdorf. 1200 a.C.

Jonathan Holdorf. 1200 a.C.

A sala de aula estava escura como se a noite tivesse chegado mais cedo. Eu via apenas a silhuetas de pessoas atentas à única luz que iluminava o ambiente. O projetor jogava raios coloridos na parede branca, eu esperava com expectativa pela resposta do professor e o frio cortante do inverno do Rio Grande do Sul me abraçava.

- JONATHAN! Como você fez essa foto?! - o professor exclamou de uma forma que me surpreendeu.

Agora era a minha vez. A hora de dar a resposta tinha chegado. Eu precisava fazer o meu melhor.

- Com a câmera - eu disse, sorrindo levemente enquanto esperava a reação da turma.

Para o meu alívio todos riram e eu tirei 10 no trabalho de fotografia.

Jonathan Holdorf. 1200 a.C.

Jonathan Holdorf. 1200 a.C.

Estas fotos são de muito, muito tempo atrás. São praticamente as primeiras fotos que fiz na vida usando uma câmera DSLR. Isso foi no tempo da faculdade de jornalismo, que entrei na época em que ainda se fazia jornalismo, notícias existiam e opinião não era dada como fato. Mas eu desisti de cursar jornalismo, porque a matéria de fotografia me fez ficar com muita preguiça de continuar o curso.

Eu amava fotografia. Eu odiava todo o resto.

Quando a matéria de fotografia terminou, os meus dias indo para faculdade tornaram-se verdadeiras torturas. Cada hora era um inferno, cada semestre dava a impressão de ser um apocalipse prestes a acontecer.

Mas eu tive sorte. Amei tanto fazer fotos, mesmo sem saber direito como mexer na câmera, que todo o meu futuro foi moldado em direção a esse universo. E são quase 10 anos nele.

Eu quase não compartilho as minhas primeiras fotografias, mas acho que vou tentar fazer esse exercício no futuro. É legal visitar as memórias do passado para vermos o quanto evoluímos.