Antes e depois: como uma fotografia simples do dia a dia pode se transformar em um novo universo

Nos últimos três anos eu comecei a me descobrir melhor como fotógrafo e quais elementos na fotografia chamam a minha atenção. Ao aprender a técnica, fica mais fácil saber os momentos exatos para quebrar as regras e usar certos "erros" ao meu favor. Foi assim que surgiu um dos meus principais trabalhos até então, a série Paisagens Flutuantes, em que eu abdiquei de todas as regras para transformar fotografias simples em imagens completamente diferentes do que elas eram a princípio.

Da mesma maneira, o trabalho Alien Landscapes se tornou realidade quando eu saí na rua para colocar o lixo na frente de casa. Em um instante, ao olhar para o chão e perceber a areia molhada que criava texturas e caminhos aleatórios, fui fotografando esse cenário comum. Até então não fazia ideia de qual seria o resultado final.

No programa de tratamento de imagem comecei a brincar com os contrastes e as cores da fotografia; aos poucos fui percebendo como ela se transformava e se apresentava para mim como algo que no registro não existia, mas que sempre esteve no meu subconsciente.

A possibilidade de enxergar mundos fictícios em situações corriqueiras me permite viajar para lugares que nunca imaginei estar. Eu acabo me tornando o protagonista em histórias que não precisam ser escritas, pois já estão vivas em forma de imagem. Nada disso seria possível sem quebrar as regras, sem perceber que é possível experimentar com a fotografia e deixá-la agir. 

Fico feliz por ter me descoberto um explorador desses universos e espero ainda poder conhecer muitos outros.